Frangos de Corte, Sanidade

Injeção in ovo – Perfuração da casca

Perfuração da casca

O evento seguinte à fixação do ovo pela vacinadora é a perfuração da casca. Ela é realizada pelo perfurador que, com características específicas de tamanho, formato e velocidade, rompe a casca sem danificá-la. Importante notar que o perfurador não toca nenhuma estrutura interna do ovo, exceto a membrana da casca.

Outro fato importante nessa sequência é que, imediatamente antes de realizar esse passo, o perfurador sofre adequada desinfecção por meio da solução desinfetante dispensada de forma automática pelo equipamento, eliminando qualquer risco de contaminação que poderia trazer ao embrião pela proximidade desse ao final do movimento de perfuração.

Na sequência da perfuração da casca, o equipamento aciona a agulha que penetra além da câmara de ar e toca as estruturas do ovo embrionado e o próprio embrião. Isso, porém, não ocorre em todas as situações. As condições em que a agulha atinge o embrião dependem de vários outros fatores, além do tamanho do embrião.

Após as etapas de perfuração e deposição da vacina realizadas pelo equipamento, o conjunto dos componentes que realizaram essa etapa faz o caminho inverso, de forma que esse retorne à sua posição original juntamente com a cabeça de injeção e esteja em condições de iniciar um novo ciclo de perfuração.

O orifício produzido pelo perfurador no topo do ovo facilita a respiração do embrião, aumentando a troca de gases.

Ilustração de punch no ovo

Para saber mais sobre esse processo de imunização, acessem um vídeo sobre as máquinas de vacinação in ovo da Zoetis em: https://www.youtube.com/watch?v=slafJdcWfBA.

Autores:

J. Fernando Truzzi e Edson Ploncoski Médicos-Veterinários | Biodevices – Aves