Frangos de Corte, Postura Comercial, Sanidade

Hora de fazer a rotação de anticoccidianos: você conhece a plataforma ROTECC?

Sabemos que a rotação de moléculas para o controle e prevenção de coccidiose deve ser uma prática frequente na avicultura, a fim de evitar ou postergar o desenvolvimento de resistência das Eimerias. Na prática, o que deveria ser feito, de acordo com as Boas Práticas aceitas pela comunidade internacional, seria alternar os princípios ativos entre categorias distintas, evitar períodos prolongados de uso de um mesmo anticoccidiano e proporcionar “descanso” frequente após o uso de determinado produto. A Zoetis apoia e dissemina essa abordagem por meio da plataforma Rotecc (Ro = Rotação, tecc = tecnologia; Rotação entre as tecnologias), a qual se baseia em 3 pilares: ética, prudência e racionalidade.

Um exemplo para exercitar o conceito é se um programa atual está utilizando monensina (ionóforo monovalente), no próximo programa seria ideal incluir um ionóforo monovalente glicosídico (maduramicina ou semduramicina) ou um divalente (lasalocida), ou ainda, um anticoccidianos sintético. Pois caso fosse rotacionado dentro da mesma categoria de monovalentes (salinomicina ou narasina), poderia estar repetindo a mesma classe de anticoccidiano e predispondo ao desenvolvimento de resistência cruzada para esta categoria.

Além dos conceitos técnicos sobre as diferentes categorias e modos de ação, os resultados esperados no desempenho e na saúde intestinal (escores de lesão) das aves também devem ser levados em consideração na hora da escolha do programa seguinte. Para isso, pode-se utilizar como ferramenta o comparativo entre lotes anteriores ou testes controlados como por exemplo o AST (Anticoccidial Sensitivity Test – Teste de sensibilidade aos anticoccidianos). E o que considerar nos resultados dessas investigações? Como saber se vale a pena fazer a troca pela molécula A ou B?

Com os resultados de desempenho em mãos, a maneira mais racional de medir qual molécula vale a pena ser considerada é simular o quanto as diferenças de peso e conversão alimentar impactam de forma financeira. É um cálculo que exige bastante trabalho, visto que muitas variáveis devem ser colocadas na fórmula. Custo da ração, custo do anticoccidiano, valor de venda da carne, rendimento esperado de carcaça, são alguns dos números a se considerar.

Nós da equipe técnica da Zoetis desenvolvemos uma ferramenta que simula vários comparativos entre moléculas, entregando ao final os ganhos e/ou perdas quando se opta por uma ou outra molécula. Os resultados de desempenho utilizados provêm de vários ASTs realizados com isolados de Eimeria sp em integrações do Brasil.

Entre em contato com nossa equipe e informe-se mais:

Antonio Kraieski

Médico Veterinário | MSc. | Assistente Técnico – Aves

Celular: +55 45 99142 4194

E-mail: antonio.kraieski@zoetis.com

Conheça nossa linha de anticoccidianos em nosso site
(https://www.zoetis.com.br/produtos-e-servicos/aves/anticoccidianos.aspx)

Autor:

Antonio Kraieski – Médico-Veterinário | Msc. | Serviços técnicos – Aves