Frangos de Corte, Postura Comercial, Sanidade, SAÚDE RESPIRATÓRIA

Quais as principais diferenças e semelhanças entre o Coronavírus das aves e o causador da COVID-19 em humanos?

Os coronavírus são causadores

Os coronavírus são causadores de uma série de doenças tanto em humanos quanto em animais, possuindo aspectos semelhantes e diferentes. Todos os vírus dessa família recebem esse nome pelo fato de parecerem com “uma coroa”, quando observados por microscópio eletrônico. Normalmente, a característica principal dessas doenças é causar problemas respiratórios, mas outras variações podem ocorrer. Por exemplo, a Bronquite Infecciosa das Galinhas (BIG) não impacta humanos e a COVID-19 não afeta as aves.

Além disso, os coronavírus causam também problemas entéricos, neurológicos, renais e hepáticos. Essas são variações que dependerão do tipo de vírus envolvido na infecção, já que os coronavírus são divididos em grupos denominados como Alfa, Beta, Gama e Delta. O velho e conhecido coronavírus das aves, denominado comumente como Bronquite Infecciosa das Galinhas (BIG), pertence ao grupo Gama e não é capaz de infectar os humanos. Por outro lado, a doença COVID-19 é causada por um novo coronavírus específico pertencente ao grupo Beta, que não tem a capacidade de infectar as aves. Ou seja, são doenças completamente distintas causadas por agentes etiológicos diferentes. Dessa forma, as aves ou mesmo os produtos derivados das aves (carne ou ovos) não são considerados uma fonte de infecção do vírus da COVID-19.

Embora os vírus da BIG e a COVID-19 sejam incapazes de serem transmitidos das aves para os humanos ou vice-versa, eles apresentam semelhanças interessantes quanto à forma de transmissão e comportamento. Ambos são transmitidos, principalmente, por pequenas gotículas que contêm o vírus que são eliminadas via aparelho respiratório pelo portador infectado e se espalham muito rapidamente na população, levando a infecção de novos hospedeiros via nariz, olhos e boca. A característica mais notável de ambas as doenças é a velocidade e facilidade com que o vírus é disseminado na população. Em aves, o vírus causador da BIG é capaz de se disseminar em 24 horas por todas as aves de um galpão. Isso também é facilitado pelo fato de as aves serem criadas em alto regime de confinamento.

Sabendo dessa característica desse vírus das aves, o caminho encontrado para controlar essa doença passou, principalmente, pelo desenvolvimento da vacinação e de medidas de prevenção adotadas nas granjas. Já, há várias décadas, o processo de vacinação é adotado em aves para conter a disseminação do vírus dentro das populações de aves industriais. Essa prática conjunta de realizar medidas preventivas associadas à vacinação tem sido de grande sucesso no controle do “velho Coronavírus das aves”.

Conheça nossa linha de produtos contra o “velho coronavírus das aves”

Autor:
Eduardo Muniz - Médico Veterinário | Me. | Dr. | Gerente de Serviços Técnicos e Outcomes Research  – Aves