Brasil

GERAR CORTE 2017 inicia reuniões avaliando mais de um milhão de dados de IATF

Encontro realizado em Bonito (MS) abriu a sequência de reuniões do Grupo, com participação elevada de técnicos da região

Com a presença de aproximadamente 100 pessoas, foi iniciada, em Bonito (MS), entre 20 e 22 de julho, a primeira das reuniões do GERAR (Grupo Especializado em Reprodução Aplicada ao Rebanho) CORTE 2017. Este ano, o grupo ainda vai percorrer mais seis regiões do Brasil – RS, MT, SP, DF, MA e MG.

Reunidos no Hotel Zagaia Eco Resort, os participantes receberam em primeira mão o novo relatório do GERAR 2017, que reúne diversas tabelas e gráficos com informações detalhadas sobre os resultados nacionais de protocolos de IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) e a TETF (Transferência de Embriões em Tempo Fixo) da última estação de monta (2016/2017), enviados pelos 250 técnicos integrantes do Grupo.

Na ocasião, também foi divulgado o relatório regional (GERAR-MS), com dados reprodutivos dos técnicos que atuam em fazendas de gado de corte do Mato Grosso do Sul, Paraguai e Bolívia.

Mais de 1 milhão – Somente na última estação de monta, foram compilados mais de 1 milhão de dados de protocolos de IATF  e TETF.  “Trata-se de uma marca anual histórica tanto para o GERAR CORTE quanto para todo o segmento brasileiro de reprodução bovina”, afirmou Mauro Meneghetti, Gerente da Linha de Cria – Bovinos da Zoetis, empresa incentivadora e apoiadora do GERAR.

No total, o GERAR CORTE acumula um banco de dados com mais de 4 milhões de informações de protocolos de IATF e TETF.

Responsável pela abertura do encontro em Bonito, Mauro Meneghetti agradeceu a presença dos técnicos do Mato Grosso do Sul, um dos grupos mais participativos das reuniões anuais do GERAR e também com grande contribuição no processo de levantamento dos dados de campo em todo o País. O GERAR-MS respondeu com quase 18% dos dados totais de IATF recebidos pelo grupo na estação passada.

O primeiro palestrante do dia, o consultor Cássio Rodrigues, da Exagro, abriu o “Módulo 1” da reunião, chamado de “Estratégias Reprodutivas e Produtivas que Potencializam a Rentabilidade da Cria em 2017”. Cássio despertou grande interesse dos convidados ao abordar o tema “Como não ficar refém do ciclo pecuário”, assunto que não poderia ser mais propício para o momento atual vivido pelos pecuaristas de corte, marcado pelo forte viés de baixa nos preços do bezerro e demais categorias. O consultor propõe como solução para este período desfavorável investir no aumento de produção de arrobas na propriedade, descartando vacas já adultas da fazenda e optando pela recria de fêmeas jovens que normalmente seriam negociadas ao mercado imediatamente após a desmama, juntamente com os lotes de bezerros machos.

“Dessa maneira, além de reduzir a dependência na comercialização da categoria bezerro, o criador garante lucratividade ao segurar essas fêmeas na fazenda para vendê-las mais tarde, mais pesadas, com 12-14 arrobas, aproveitando também para negociar bezerros filhos dessas mães”, justificou Cássio.

Dando continuidade ao tema abordado pelo consultor da Exagro, o médico veterinário José Luiz Moraes Vasconcelos, o “professor Zequinha”, da FMVZ-UNESP Botucatu-SP, apresentou a palestra “Estratégias Reprodutivas para Alcançar os Objetivos da Cria Produtiva”, levantando temas como o “desafio reprodutivo em novilhas Nelore”, de 14 meses de idade.

“É importante que cada vez mais se busque identificar e selecionar touros da raça Nelore que tenham a característica genética para precocidade sexual” destacou o professor, que logo depois participou de uma “mesa redonda” ao lado do consultor da Exagro, que também opinou sobre o mesmo assunto. “É bom ressaltar que, além do trabalho de identificação e seleção genética dos touros, é muito importante que essa novilha desafiada receba, no período pós-desmama, um manejo nutricional diferenciado, visando proporcionar ganho de peso corporal ideal para que a característica da precocidade sexual se manifeste”, observa Cássio Rodrigues.

Dados nacionais – O professor Zequinha iniciou o trabalho, logo após o intervalo, de apresentação e discussão dos dados de IATF da estação de monta 2016/2017. Na última temporada, o GERAR nacional contabilizou 1.027.266 de protocolos de IATF, o que representou um crescimento de 25% sobre os dados de inseminações recebidos pelo Grupo na estação de monta anterior (824.486). Considerando o número geral de inseminações em tempo fixo, a taxa de prenhez média na estação de monta 2016/2017 alcançou 51%, perfazendo um total de 524.256 vacas gestantes. Desde 2007, o GERAR CORTE acumula um banco de dados de 3.972.878 informações de IATF.

Dados regionais – Na estação de monta 2016/2017, o GERAR-MS contribuiu com 181.571 dados de IATF, o que representou crescimento de 55% em relação ao montante de dados enviados na temporada anterior, de 117.241. Desse total de sincronizações, registrou-se 94.155 gestações, resultando numa taxa média de prenhez à primeira IATF de 51,9%.

Outros palestrantes – O período da manhã do segundo dia de reunião do GERAR-MS foi dedicado à apresentação de palestras dos demais convidados.

Fábio Frigoni, da CRV Lagoa, abriu a reunião com o tema “Líder IATF: Otimize seu Tempo e Lidere com Eficiência a Gestão Reprodutiva do Rebanho”. Em seguida, Renata Fernandes, da Zoetis, apresentou a palestra “Mercado do Agronegócio: Cenário Atual e Expectativas para o Futuro”. Logo depois, Daniel Biluca, também da Zoetis, abordou o assunto “Como o Clarifide Nelore Pode Apoiar e Complementar os Serviços Prestados”.

Guilherme Pugliesi, da USP/Pirassununga, apresentou o tema “Uso da Ultrassonografia Doppler em Programas Reprodutivos”. Na sequência, Cláudio Casagrande, técnico do GERAR-MS, e Rodolfo Romero, da Zoetis, abordaram o assunto “Alteração do Protocolo de IATF para Adequação da Agenda de Trabalho”. Após o almoço, Mauro Meneghetti e Fernando Aono, ambos da Zoetis, encerraram o ciclo de palestra com o tema “Pesquisa Aplicada que Permite Análise do Retorno Econômico com a Prevenção das Doenças Reprodutivas”.

Logo depois, Zequinha retomou o debate discutindo os resultados de TETF da estação de monta 2016/2017. Segundo informou, no total, o GERAR registrou o envio de 19.276 protocolos na última estação, número um pouco abaixo do registrado na temporada 2015/2016 (19.558). A taxa de prenhez em TETF na estação 2016/17 ficou em 40,3%, com 7.769 vacas prenhas. O Grupo do Mato Grosso do Sul foi responsável por 3.299 sincronizações em TETF, com taxa de prenhez de 35,5% (1.172 matrizes gestantes).

Próximas reuniões – O GERAR CORTE 2017 promoverá o próximo encontro nos dias 27 e 28 de julho, em Viamão, Rio Grande do Sul, no Hotel Vila Ventura. O encontro irá envolver técnicos que atuam em fazendas do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. As reuniões seguintes ocorrerão nas cidades Cuiabá (MT), Pirapozinho (SP), Brasília (DF), Imperatriz (MA) e Belo Horizonte (MG).

 

Sobre o GERAR CORTE

O GERAR (Grupo Especializado em Reprodução Aplicada ao Rebanho) é um grupo qualificado de 250 técnicos, que trabalham e discutem inovações e resultados referentes à IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) e TETF (Transferência de Embriões em Tempo Fixo). Os dados são coletados nas fazendas de gado de corte atendidas pelos técnicos, analisados pela equipe da UNESP-Botucatu-SP e apresentados nas reuniões anuais do grupo GERAR.

Sobre a Zoetis

Zoetis é uma companhia global líder em saúde animal, dedicada aos clientes e seus respectivos negócios. Com um legado de mais de 60 anos de história, a Zoetis descobre, desenvolve, fabrica e comercializa vacinas e medicamentos veterinários, complementados por linhas de produtos para diagnósticos, testes genéticos e diversos serviços. A Zoetis trabalha continuamente com veterinários, produtores e pessoas que criam e cuidam de animais de produção e de companhia em mais de 100 países, com cerca de 9 mil funcionários. Em 2016, obteve faturamento de 4,9 bilhões de dólares. Para mais informações, acesse www.zoetis.com.br.

 

Atendimento ao consumidor Zoetis: 0800 011 19 19