Brasil

Estudo realizado pela Zoetis e FMVZ-UNESP mapeia a aplicação de IATF em fazendas leiteiras do Brasil

Grupo Especializado em Reprodução Aplicada ao Rebanho (GERAR) cria banco de dados sobre métodos reprodutivos para auxiliar os técnicos a impulsionar a lucratividade nos rebanhos leiteiros

 

Um banco de dados com mais de 60 mil avaliações de rebanhos leiteiros dos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul reunindo informações atualizadas sobre o uso da IATF (Inseminação Artificial em Tempo Fixo) no País. Esse é o resultado inicial do projeto GERAR Leite – avaliação promovida pela Zoetis, líder mundial em saúde animal, e pela FMVZ-UNESP Botucatu (SP) –, que discute as inovações e os resultados oriundos das aplicações de técnicas reprodutivas para impulsionar a eficiência do sistema e lucratividade dos produtores. Segundo dados de mais de 170 fazendas participantes do projeto, que adotam os dois métodos – observação do cio/inseminação artificial e IATF –, obteve-se maior taxa de concepção aos 30 dias com a utilização da IATF (32%) do que pela inseminação após a observação de cio (28%) nas vacas em lactação. 

 

Cerca de 100 médicos veterinários e técnicos das regiões avaliadas participantes do grupo geraram e enviaram as diferentes informações ao longo de 2014. Os dados reprodutivos foram analisados por uma equipe de profissionais especializados da FMVZ-UNESP Botucatu – coordenados pelo professor José Luiz Moraes Vasconcelos –, e apresentados em reuniões ao grupo. 

 

 

“O mapeamento nos auxilia a reunir dados reprodutivos e, futuramente, financeiros para determinar índices e valores que sirvam como parâmetros para o negócio. Dessa forma, o produtor e o técnico, podem, por meio do benchmarking, analisar seus resultados e avaliar como está posicionado em relação ao mercado. Por meio da adoção das técnicas reprodutivas mais adequadas conseguimos garantir melhor produtividade em sua fazenda”, afirma o gerente de Produto da Linha Reprodutiva Leite da Unidade de Negócios Bovinos da Zoetis e coordenador do grupo GERAR Leite, Fernando Braga. No primeiro semestre desse ano, o Estado do Paraná também foi incorporado ao projeto e às análises, que já estão sendo realizadas e serão compartilhadas nas próximas reuniões do grupo, ainda em 2015. “Vamos nos aprofundar ainda mais no tema. Ainda neste ano, o projeto também será ampliado para o Estado de Goiás”, finaliza Braga.